terça-feira, 13 de dezembro de 2011

MORTALMENTE SUA



Mortalmente Sua



Arranha 
assanha essa mulher

atiça essa fêmea
cadela no cio
puta faminta 
mas mortalmente sua.
Infinitamente sua
quando divide o prazer
cavalgando o seu corpo de macho.
Me esculacho
me entrego
me afago
me lambuzo no teu prazer
na sua saliva
que me incendeia.
Vem!
Vem agora e me ama,
alucinadamente me foda!
Te seguro!
Me seguro!
Guio você pra dentro co meu prazer
feito louca alucinada
te beijo a boca
te arranho a pele
sussurrando em teus ouvidos
todos os segrdos
do meu corpo de mulher.


FANTASIAS


FANTASIAS


Acendi velas no meu quarto - me perfumei toda, me cobri de perolas vesti e desvesti a minha lingerie enquanto pensava em você.

Pensei mil e uma coisa e imaginei você me chegando - sabe como é, isso mexe com a libido de qualquer mulher.

Soltei o pensamento e te encontrei... Não te dei tempo para falar ou perguntar - apenas me atirei sobre você como um loba faminta.

As velas estão queimando e exalando um perfume suave e isso me atiça mais os sentidos. Gosto deste clima... Talvez você goste, não sei. Ainda não sei...



O telefone esta tocando... Tenho que deixar o encanto lascivo e voltar para realidade
mas, não antes de tomar mais um gole de vinho e me amar pensado em você...


PELE NUA


PELE NUA


Tecem por dentro de nós
os gritos do pôr do sol
enquanto bordam as barras
dos nossos corpos,
as águas profanas
que descem as corredeiras
em espumas calejadas.
Dobradas para trás
as veias
ardendo no toque das nossas mãos
trêmulos dedos da memória
carne rósea,
rosácea
flutuando sozinha
enquanto a noite orgânica e
côncava
reflete no celofane
dos olhos
todos os pigmentos
da nossa pele tão nua.
Os risos e gargalhadas
os beijos afoitos
inflam o descompromisso
das horas
que te desvendam
enquanto arranco
com minhas mãos
o suor do teu prazer!




quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

POR PRAZER




POR PRAZER

Meu amor, fizeste de mim
a mulher mais feliz do mundo
com seu carinho, com seu afeto
tocou meu coração
me amou como sempre desejei.

Beijou-me com paixão despudorada
acariciou-me com sofreguidão
arrancou de minhas entranhas
o prazer de ser mulher.

Ah, meu amor, senti voce em mim
fazendo parte de minha existência .
O teu prazer misturando-se ao meu,
desnudando minha alma
que se entregou mansamente ao desejo.

Senti voce, cada movimento seu
cada palavra sussurrada em meus ouvidos
cada beijo em minha nuca
cada beijo em meus labios
cada beijo em meus seios...

Nos amamos como animais no cio
fazendo parte do cio da natureza
abençoados pela magia
de estar amando...
...mas que agora, que faço?!

Quando seus lábios de mim se afastam
quando seu corpo não me deseja?!...
Que faço agora?! A não ser pedir-te, mata-me.
Mata-me, pois não sou nada sem voce, mata-me!

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

UM SÓ PRAZER




UM SÓ PRAZER



No meu corpo
a essência da vida
faz arder a pele
num desejo insano
de me entregar aos teus carinhos...

Me soltar neste oceano
onde os beijos da tua boca
me percorrem de norte a sul,
acalmando o fogo que me incendeia...

Tuas mãos em concha
acolhem meus seios
enquanto tua boca roça em meus ouvidos
falando-me do amor e seus mistérios...

E meu corpo te procura, te busca e te segue
numa cavalgada sem pudores
onde me percorres com teus carinhos
com teu amor, até finalmente me possuir
então me amar até nossas horas de prazer se juntarem
e explodirmos num gozo único
de dois corpos em um só prazer...


terça-feira, 1 de novembro de 2011

PORTA RETRATOS


PORTA RETRATOS

Me vesti de branco mas com a alma vermelha
pois a paixão é interna...
E o que importa é meu coração
te querendo, lendo teus momentos e
sabendo de você...

O resto, são roupas jogadas
sandálias perdidas, o baton já borrado
o cabelo desfeito, o olhar divagando
e o coração satisfeito...

Um suspiro, um último beijo
e sua foto no meu porta retratos,
sempre me olhando, esperando eu dizer: Bom dia anjo, vamos tomar café?
Mas antes, me ama e me chama de meu amor...

LUAR


LUAR
O desejo de te sentir
Não é só mero prazer,
É desafio que me alivia
Dando-me ar para viver...


Dentro da noite
Sob o luar
Meu corpo de presa
Em fúria indomável
Rende-se e espera pela tua boca
Teus beijos e tua posse enfim...

Meu corpo-alimento te recebe,
A ti e tua fome, não posso evadir-me
Comungo com tuas águas.

Na ânsia do teu êxtase, fecha teus olhos
Mata-me com teu gozo,
Estando meu corpo sem vida,
Minha alma será teu alimento...

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

NO OVÁRIO DA NOITE


NO OVÁRIO DA NOITE

Sento-me a tua frente, tão próxima
que tua respiração acaricia meus cabelos...
Teu hálito morno em meu rosto
como a promessa de um beijo,
um beijo contido na distância
um beijo desejado
por demais sonhado...

Roubo teus segundos, teus segredos
teu por do sol, tuas palavras, teus versos.
Roubo teu descanso, teu sono, teu sonho...

Não mais estou fora de ti...
Estou em você, dentro dos teus desejos
faço parte do teu prazer
te dou o meu prazer nas madrugadas
no ovário da noite
quando em silêncio,
te espero em meu corpo...


sexta-feira, 28 de outubro de 2011

TEMPESTADES




TEMPESTADES

Ah, esses raios, esses trovões...
Excitam-me!
No meio desta ventania,
Meus cabelos jogados, batendo em desalinho,
Soltos nas mãos do vento...

As gotas geladas da chuva
Caindo em meu rosto, escorrendo,
Morrendo em meus lábios...

O vento falando-me coisas,
Sussurrando em meus ouvidos
Com sua voz, sua voz de vento...

Excita-me! .
Minha pele reage as carícias do vento,
Meu corpo responde.
Entrega-se...

Chova em mim.
Molha-me essa chuva,
Beija-me esse vento,
Ama-me esses trovões...

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

EU OUÇO A TUA RESPIRAÇÃO


OUÇO A TUA RESPIRAÇÃO

Ouço a tua respiração
quando fecho meus olhos.

Ouço a tua respiração
no silêncio do meu quarto.

Ouço a tua respiração
quando me beija.

Ouço a tua respiração
quando me despe.

Ouço a tua respiração
quando me domina.

Ouço a tua respiração
quando me possui.

Ouço a tua respiração
quando em êxtase, diz o meu nome.

Ouça a minha respiração
quando no meu gozo eu digo: " Eu te amo"!
Eu te amo, eu te amo, eu te amo, eu te amo...

domingo, 23 de outubro de 2011

EU TE AMO


EU TE AMO

Quero minhas roupas rasgadas
suas roupas jogadas
meu corpo e seu corpo
em cavalgada
alucinando, arranhando
mordendo,lambendo...

Quero meu corpo e seu corpo
gastando-se no atrito
na ânsia, na respiração sufocada
gemidos, sussurros
beijos tresloucados...

Quero teu olhar estalando em meu olhar
pupilas dilatadas
um gozo de luzes
um choque
um sorriso,
...eu te amo!

sábado, 22 de outubro de 2011

SUPLÍCIO


SUPLÍCIO


Quão longe dos teus braços...
Suplico a reprise do tempo
abrindo as janelas da minha mente.
Tenho fome de tempo,
tenho fome de ti...
Quero-te agora
antes que o vazio tome conta de mim
aconchega-me ao teu peito,
dá-me de beber do teu prazer
aqui e após,
pois minha dor
ainda é parte dessa verdade.
E na pureza dos teus carinhos
vem, possua-me!
Já sou cativa,
escrava do teu olhar.
Possua-me como os animais,
sem pudores, sem pressa.
Possua-me,
faça meu corpo alimentar-se no teu prazer
sacie minha sede
nas águas das suas águas
e com a intimidade das tuas mãos,
percorra-me,
reviva a minha alma!
Pois na quietude da noite
beijo-te a boca,
tu és meu amo,
meu senhor para sempre.


ORGÍACOS DELÍRIOS




ORGÍACOS DELÍRIOS

Pedras de fogo
olhos de anjo/diabo
rubi e safira
incandescência na beira da pálpebra
orgíacos delírios
suores e tremores
anseios dormentes ainda mornos
na abóbada do corpo
um raio
um rabisco
e a boca sempre aberta no côncavo/convexo
sexo às avessas
amor de temporal entre as cabeleiras
afoitos gemidos
ardência por entre as pernas
fogo na relva do sonho
te olho e me olhas
por entre as sombras o teu reflexo
teu fogo sopra as labaredas
e explode orgasticamente,
explode você em mim.


segunda-feira, 26 de setembro de 2011

AMA-ME




Ama-me

Olha em meus olhos...
Estou aqui, corpo e amor
Só para você
Abraça-me, me sente.

Quero sua boca
Se derretendo em meus beijos,
Minha boca, vasculhada pela sua língua.

Quero suas mãos
Navegando nos rios da minha pele,
As suas dúvidas encontrando
Respostas no meu desejo.

Quero minha existência sob o peso
Do seu corpo
Nesta hora louca de pura entrega,
Entre sussurros e gemidos
Abafados, colados na sua pele...
Quero seus segredos.

Entre ventos e trovoadas,
Quero sua carne rasgando minha carne
Tua seiva derramada em meus atalhos
Até a confluência do amor vertente.

Quero a explosão do seu gozo
No meu gozo
Alimentando minhas entranhas
Neste momento primeiro da comunhão
Da carne onde eu digo,
Te amo

domingo, 25 de setembro de 2011

VELUDO





VELUDO

O teu calor me persegue
serpente de fogo,
queimando minha pele
enquanto me despe de poudores/odores
Tuas mãos me desenham,
fêmea/mulher tua
agonia e êxtase
na pele nua/veludo.
Tua boca beija/beijos
escorregados
indecentes
molhados
florescendo
orvalhando meu corpo.
Teu sussuro entre/dentes
traz a loucura do gozo
iluminando os poros
acendendo meu olhar dentro do seu olhar
no momento em que a tua boca se aproxima
e beija a minha...






quinta-feira, 22 de setembro de 2011

MALÍCIA


MALÍCIA


Vento de vendaval
Descobre a nudez do deserto
Faz passear os olhos que me olham
Na curva das minhas costas...
Escorrega as suas areias pelos meus labirintos
E desenhando um nome na minha pele nua
Crua de desejos e malícias
Acorda a fêmea que há em mim.
Açoita minhas coxas
Desça pelos meus seios sucumbindo amores
Em meus ouvidos
E calores nos meus infinitos gozos.
Vento de vendaval
Sopre o calor sobre mim
Vertendo o suor de cada poro
Sal para sua boca
Vida para seus sonhos.


AMOR



"Um sobre o outro, eles cavalgavam juntos. Iam juntos em direção às distâncias desejadas. Atordoavam-se numa traição que os libertava." (Milan Kundera)


AMOR
Abre a tua mão e passeia sobre mim
com a tua existência
até onde a loucura inicia.
Abre os poros da minha pele
fazendo arder a carne que te deseja.
Passeia sobre mim...
Passeia com teus cavalos de fogo
pisando os meus seios
abrindo feridas famintas
sangrentas...
Passeia sobre mim...
Passeia com teu olhar de anjo
e devora-me com tua boca
até minha alma abster-se
de toda luxuria e entregar-se
mansa ao teu prazer.
Passeia sobre mim...



sábado, 17 de setembro de 2011

MEIO DIA/MEIA NOITE




MEIO DIA/MEIA NOITE

Dias brancos...
Passeia-me o sonho
Nestas pétalas desabrochadas
Ante o teu olhar de verdes estações
Nuances do meio dia/meia noite em teus braços
Hora de magia
Hora nossa...
O que olha agora, amor meu?
O que vê no espelho dos meus olhos?
É isso, uma flor que se abre
Aos teus carinhos?!
Ah, meu amor
Atiça-me o desejo
Na maciez da tua pele e o cheiro
Do teu desejo alucina...
Me solto e te acompanho
Enlouquecida te possuo
E te cavalgo
Feito amazona nua
Faminta do teu amor...
Cavalgo-te enquanto olhas o meu olhar
Enquanto me sacio cravando as unhas no teu peito
Vertendo o teu sangue
Que minha língua lambe
Fazendo adocicar minha boca
Cada vez mais ávida do prazer.
Tuas palavras em meus ouvidos
Pedindo-me, me fazendo cada vez mais alucinada
Nesta entrega sem pressa
Nesta magia onde nossos corpos
Fizeram-se um só
Somos e fomos além do universo
Num gozo abençoado
Numa explosão de puro amor
Só nós dois, amor, só nós dois.
Só nós dois...

AMAR NA MADRUGADA







AMAR NA MADRUGADA


E amava tanto quE se
perdeu
no vácuo de quem
respira
tranpira sUor de amor
frágil dor
em poesia.
Chuva à meia luz
menina de paixão
seduz
a lua escondida
encabulda, enamorada
sorri um beijo
de erva doce
promessa e ladainha
sonho imorTal
na nudEz
das coxas
mãos aflitas
luz
m
o
r
t
i
ç
a
horas quietas neste

aceno do dia
que lamenta a distância
e a ousAdia
deste olhar lascivo
na madrugada
uM
s
u
s
p
i
r
o
enquantO ama...


DESEJOS



Desejos

Minhas mãos tremulas/suadas
Em desatino rasgam tuas roupas
Expondo teu corpo e cheiro de homem,
Objeto do meu insano desejo...

Percorrem numa ânsia louca
Desvendando teus segredos,
Arrepiando ao leve toque os teus mamilos
Sedentos de meus lábios...

Tua pele quente se oferece às minhas carícias
Loucuras, doçuras, canduras, fantasias, desejo de amar.
E nesta fome do teu corpo
Afogo minhas fantasias refletindo-me em teu olhar...

Minhas mão te possuem. Te tocam
Conhecem e sentem o teu desejo de me amar
Enquanto me faço amada e amante
Me saciando nesta cavalgada sem tréguas...

Eu te possuo enfim...
Por um momento sou dona do teu prazer
Te sinto em mim e
Eu sou dona do teu corpo,
Dona do teu ser.
Dona...
Dona do teu amor...

E quando extenuada defaleço em seus braços
És meu dono,
Meu dono...






INTROIBO AD ALTARE DEI


Introibo Ad Altare Dei


Os meus seios de mar
Em suas mãos
Atlânticas.
Divino espelho,
Mulher de mar.

Algas marinhas
Onde seus dedos tocam.
Verde mar de areia,
No ventre líquido
Que escorre...

Seios de maresia
Flutuam em ondas.
Na sua boca,
Elástica língua
Sobre a perola.
Girando... girando... girando...

Pedaços de espuma
Sargaços convexos na escura gruta,
Alguidar do teu sêmen.

Espuma no vento.
Colisão da noite.
Verde mar azul
No gozo atlântico
Do seu líquido,
Gozo derramado...