terça-feira, 13 de dezembro de 2011

MORTALMENTE SUA



Mortalmente Sua



Arranha 
assanha essa mulher

atiça essa fêmea
cadela no cio
puta faminta 
mas mortalmente sua.
Infinitamente sua
quando divide o prazer
cavalgando o seu corpo de macho.
Me esculacho
me entrego
me afago
me lambuzo no teu prazer
na sua saliva
que me incendeia.
Vem!
Vem agora e me ama,
alucinadamente me foda!
Te seguro!
Me seguro!
Guio você pra dentro co meu prazer
feito louca alucinada
te beijo a boca
te arranho a pele
sussurrando em teus ouvidos
todos os segrdos
do meu corpo de mulher.


FANTASIAS


FANTASIAS


Acendi velas no meu quarto - me perfumei toda, me cobri de perolas vesti e desvesti a minha lingerie enquanto pensava em você.

Pensei mil e uma coisa e imaginei você me chegando - sabe como é, isso mexe com a libido de qualquer mulher.

Soltei o pensamento e te encontrei... Não te dei tempo para falar ou perguntar - apenas me atirei sobre você como um loba faminta.

As velas estão queimando e exalando um perfume suave e isso me atiça mais os sentidos. Gosto deste clima... Talvez você goste, não sei. Ainda não sei...



O telefone esta tocando... Tenho que deixar o encanto lascivo e voltar para realidade
mas, não antes de tomar mais um gole de vinho e me amar pensado em você...


PELE NUA


PELE NUA


Tecem por dentro de nós
os gritos do pôr do sol
enquanto bordam as barras
dos nossos corpos,
as águas profanas
que descem as corredeiras
em espumas calejadas.
Dobradas para trás
as veias
ardendo no toque das nossas mãos
trêmulos dedos da memória
carne rósea,
rosácea
flutuando sozinha
enquanto a noite orgânica e
côncava
reflete no celofane
dos olhos
todos os pigmentos
da nossa pele tão nua.
Os risos e gargalhadas
os beijos afoitos
inflam o descompromisso
das horas
que te desvendam
enquanto arranco
com minhas mãos
o suor do teu prazer!




quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

POR PRAZER




POR PRAZER

Meu amor, fizeste de mim
a mulher mais feliz do mundo
com seu carinho, com seu afeto
tocou meu coração
me amou como sempre desejei.

Beijou-me com paixão despudorada
acariciou-me com sofreguidão
arrancou de minhas entranhas
o prazer de ser mulher.

Ah, meu amor, senti voce em mim
fazendo parte de minha existência .
O teu prazer misturando-se ao meu,
desnudando minha alma
que se entregou mansamente ao desejo.

Senti voce, cada movimento seu
cada palavra sussurrada em meus ouvidos
cada beijo em minha nuca
cada beijo em meus labios
cada beijo em meus seios...

Nos amamos como animais no cio
fazendo parte do cio da natureza
abençoados pela magia
de estar amando...
...mas que agora, que faço?!

Quando seus lábios de mim se afastam
quando seu corpo não me deseja?!...
Que faço agora?! A não ser pedir-te, mata-me.
Mata-me, pois não sou nada sem voce, mata-me!