quarta-feira, 16 de setembro de 2015

SIMPLES MORTAIS


 Simples Mortais

me joga no chão
me rasga
me estupra com sua poesia
latejante e ferina 
qual navalha de dois gumes...
estripa-me
as vísceras___ o útero invaginado
escoa o meu sangue aos teus pés
enquanto recitas os teus versos de sal
___ sou mulher!
O teu falo me penetra
me faz um gozo onde o negrume da noite
embota o olhar de quem não goza
nem finge gozar
Vem, rasga a carne que se debate
sob o peso da tua poesia
ante o gozo iminente preso no teu olhar
seja parte dessa alquimia
antes que a luz do dia
nos transforme em simples mortais


terça-feira, 15 de setembro de 2015

VEM, NÃO DEMORA


Vem, não demora

_________com o olhar percorro a distância
quilômetros de ansiedade a eriçar-me os pelos
e ferver o sangue 
nas corredeiras sob a pele.
Meu corpo tenso__meu ventre em fogo
arde!
Te quero!
Vem,
ajuda-me a saciar a fome da sua pele
a sede do teu suor na minha língua
a minha boca engolindo a sua.
Não demora!
Vem,
traga o seu desejo
o seu sexo 
a sua força
o seu corpo sobre o meu.
Traga a sua loucura
se deite com a minha insanidade
deixa as suas mãos me rasgando a carne
e sua boca balbuciando obscenidades
_______desrespeite a minha pureza!
Me segure
me bate
me morde
me lambe
não deixe nada no lugar
...e antes que a noite termine,
adormeça-me no teu peito nu.


 para MAL

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

CÚMPLICE


CÚMPLICE

Voluptuoso é o céu da tua boca
que faz germinar a Via Láctea na vertente das minhas coxas
deixando o corpo exangue
__________no delírio suspenso de cada gozo!
E nos lençóis amarrotados, o perfume de jasmim
cúmplice
inebria os sentidos
e faz arder a pele
que mostra agora, o que eu não pude ser
ou fazer na noite escura do teu prazer.



*poema inspirado na poesia "Voluptuoso Céu" de Carlos Venttura