quinta-feira, 30 de março de 2017

TAUTOGRAMA LETRA D


TAUTOGRAMA  LETRA  D

Dias deleitosos___delicias, doideiras
diapasão!
Deidade dignificada, dual!
Dou-lhe duas dádivas ( dois delitos) : dor/desejo
Deite-se!
Divaga despindo-me devagar 
descobrirá desejo dolente, doravante dominado
Desesperada, dou-me!


para Odur


quarta-feira, 29 de março de 2017

SURREAL


SURREAL

(( e nós dois assim ))
a verdade e a mentira
o riso e o choro
o dia e a noite
a mão e a pele
o suor e o sal
a boca e o beijo
o infinito dentro de nós
rindo em falsete nervoso 
 e os nossos chinelos___pareados
esperam pelos nossos pés
num caminhar trêmulo de piedade
depois de um gozo perseguido!


para Odur



imagem: Ramiro Ramirez Cardona

quinta-feira, 23 de março de 2017

POEMA VERMELHO


POEMA VERMELHO

Vermelho é o vértice____minadouro
rubro a irrigar as planícies
até a confluência dos seus lábios
no estertor da sua pele ___vermelha/caeté
canibal que devora
o que eu sinto/não minto___sou promessa
que nunca arrefece
mas adoece e nada mais é
que o seu côncavo altar___a sua oferenda
no gozo que se faz eterno
vermelha pele sua___em mim.


para Odur