domingo, 2 de julho de 2017

NOTURNO


É noite das delícias
e  a sua mordida de bicho-cabeludo
me faz arder numa gemência doida
me revirando aos solavancos
feito égua no cio
____vem! Cavalga e grita o meu nome
morde a minha boca
enquanto seu falo me revira por dentro
útero da vida
vulva de fogo-fátuo
lábios de carne viva
___vem! Crava as unhas nas minhas costas
e risca o seu nome
deixa a sua marca
seu gene
seu gérmen de flores brancas
na minha pele nua
sob a lua de julho

para Odur


imagem: Rembrandt

4 comentários:

  1. O furor de teus versos liberam intensa sensualidade. Grande composição.
    Adorei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada poetisa.Seja sempre bem-vinda! Beijo

      Excluir
  2. Respostas
    1. Dorothy, somos nós mulheres somos A Vida :) beijo

      Excluir